semeando






sábado, 6 de fevereiro de 2016

Salmo 23 apostolo ivair moreira



ultima postagem

terça-feira, 29 de setembro de 2015

REBELDIA NÃO AGRADA A DEUS

REBELDIA NÃO AGRADA A DEUS
Como o ser humano é rebelde. Nos rebeliamos contras nossos pais, contra nossos conjuges, contra nossos chefes, contra nossos líderes espirituais e assim vai a nossa lista.
A Bíblia compara o pecado de rebeldia com o pecado de feitiçaria. Em I Sm. 15.23 diz:“Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria. Assim como você rejeitou a palavra do SENHOR, ele o rejeitou como rei”.
O texto citado, de 1 Samuel, faz parte de uma exortação do profeta Samuel ao rei Saul, por causa de sua desobediência a Deus. A partir daquele momento, a unção de Deus sobre a vida de Saul, para que ele governasse o povo de Israel, havia sido retirada. Em outras palavras: aquele que desenvolve rebeldia em seu coração, sofre com a ausência de orientação e comunhão divinas.
A rebelião, no texto de 1 Samuel, é colocada em pé de igualdade com outro pecado extremamente prejudicial: FEITIÇARIA. Esta analogia serve para que possamos medir o quanto este sentimento pode ser prejudicial às nossas vidas. A rebeldia não é um pecado novo, recente. É algo muito antigo. A rebelião aconteceu, segundo a Bíblia, primeiramente no céu onde Lúcifer se rebelou contra Deus e deu o ponto de partida para essa prática na raça humana e tem distanciado tantas pessoas da comunhão com Deus.
A obediência é algo tão importante e crucial na vida do cristão que sem ela é impossível ter uma vida espiritual de sucesso. E a rebeldia impede esse sucesso.
Como sei se estou sendo rebelde?
- Quando é dada uma “ordem” no culto, do tipo vamos orar, vamos nos colocar em pé e fazer a leitura bíblica e outras “ordens” você atenta e obedece ou não?
- Quando seus pais ou o pastor dizem alguma coisa, qual é a sua atitude? Obedece pois sabe que é o melhor ou bate o pé, fala um monte de coisa e desobedece?
- Quais são as suas atitudes em relação ao que a Bíblia diz? Não estou dizendo que somos capazes de fazer tudo o que Ela diz, mas qual é o seu temor e suas ações com relação ao que Ela diz?
Respondendo essas perguntas e outras semelhantes a essas, você saberá se está sendo rebelde ou não.
Como vencer a rebeldia?
- Rebeldia não se administra, rebeldia se resolve. Nós precisamos aprender com Deus como vencer a rebeldia, porque Deus não administra a rebeldia, Ele elimina o problema. Se você ouvir alguma coisa sobre rebeldia, corra e resolva. Não deixe para depois. Com a rebeldia não se brinca e nem se deixa para depois. Deus foi imparcial com Lúcifer, expulsando-o e, mesmo assim, ele ainda levou consigo um terço dos anjos, que já haviam aderido à rebeldia e, quando se deram conta, já eram demônios.
- Guarde seu coração em Pv 4:23 diz: “Guarda com toda a diligência o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.”
- Renuncie toda raiz de rebeldia
- Não viva isolado
- Viva em comunhão com o corpo de Cristo
- Ocupe sua mente com as coisas de Deus. Leia a Bíblia, ouça hinos com base biblica, ouça mensagens biblicas
- Busque ajuda com seu pastor, com seu líder de departamento
- Lance aos pés do Senhor todas as suas ansiedades com diz em 1 Pe 5:7

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Submissão à Autoridade

Submissão à Autoridade

Submissão à Autoridade
Leitura: Hb 13.1-7

A palavra “autoridade”, do grego, “ecsusia”, literalmente significa: autoridade, direito de mandar. É traduzida como: autoridade, poder, jurisdição, autorização, direito, domínio, potestade, império, soberania, força. Aparece cerca de 99 vezes na Bíblia, sendo apenas 6 vezes no AT (ARA).

DEUS É A FONTE DE TODA AUTORIDADE (Sl 103.19; Rm 13.1; Hb 1.3)
Deus é o único que tem autoridade e o único que pode concedê-la. Isto significa que a autoridade que há no mundo provém de Deus. Deus tem autoridade direta; o homem, só autoridade delegada. No entanto, só obedecerá à autoridade que Deus delegou aquele que reconhece e se submete à autoridade do próprio Deus.

O PRINCÍPIO DA REBELIÃO
O princípio da rebelião, a insubmissão à autoridade de Deus, se deu com o diabo (Is 14.12-15 e Ez 28.13-17). Ele era um anjo subordinado a Deus, querubim ungido da guarda. Quis colocar seu trono acima do trono de Deus (Is 14.13,14). Colocou-se acima de sua condição de subordinado. Quis ser semelhante a Deus em autoridade.
Após Deus criar Adão e Eva, Satanás passou a tentá-los para terem a mesma atitude que ele teve com Deus – rebelião (Gn 3.5). Eles desobedeceram a Deus e se submeteram ao diabo (Rm 6.16). Decidiram-se pelo princípio da rebeldia, abandonando o princípio da submissão. Com este princípio satânico existente no mundo, o homem se opõe à autoridade espiritual, seja ela direta, isto é, ao Senhor, seja ela delegada, isto é, aos homens (2 Pe 2.10,11; Jd 8,9). O homem tornou-se “filho da desobediência” (Ef 2.1-3).

Em 1 Jo 3.4 temos a definição de pecado: “pecado é a transgressão da lei”. Transgressão = anomia (estar sem lei por ignorância ou desobediência).
“A transgressão é desobediência à autoridade de Deus; e isto é pecado. Pecar é uma questão de conduta, mas transgressão é uma questão de atitude do coração”. A maior das exigências que Deus faz ao homem não é a de servir, pregar, ensinar, fazer ofertas, dar dízimo, etc. A maior das exigências é que obedeça à sua autoridade (1 Sm 15.22,23).

SUBMISSÃO, UM PRINCÍPIO DE DEUS
Submissão não é mera obediência externa, mas é prestar obediência consciente a uma autoridade delegada. Tanto devemos nos submeter à autoridade direta de Deus, como devemos nos submeter às autoridades delegadas por Ele. Deus poderia agir diretamente nos homens, mas Ele escolheu o princípio de delegar sua autoridade. Na parábola dos lavradores maus (Lc 20.9-19), o Senhor Jesus expõe o princípio da autoridade delegada (Mt 10.40-42; Jo 13.20).

Algumas ilustrações de rebelião:
A REBELIÃO DE CAM (Gn 9.20-27)
A REBELIÃO DE NADABE E ABIÚ (Lv 10.1,2)
A REBELIÃO DE ARÃO E MIRIÃ (Nm 12)
A REBELIÃO DE CORÉ, DATÃ E ABIRÃO (Nm 16)

Alguns princípios:
¨ Toda autoridade está debaixo de autoridade. Uns são autoridade, outros vivem debaixo de autoridade.
¨ A autoridade representa Deus. Deus coloca confiança e unção em sua autoridade.
¨ Deus delega autoridade mesmo a homens limitados e fracos.
¨ Ir contra a autoridade é ir contra o próprio Deus. Os que agirem assim, receberão o juízo de Deus.
¨ Quem teme a Deus teme a autoridade por Ele representada.

Exemplos de submissão:
A SUBMISSÃO DE DAVI (1 Sm 24.4-6; 26.6-12)
O EXEMPLO MAIOR: CRISTO (Fp 2.5-11)

O evangelho do reino nos chama à obediência (1 Pe 1.14). Não há salvação sem obediência ao Senhor Jesus e sua palavra (Rm 10.16; 2 Ts 1.8; 1 Pe 1.22).
Paulo ordena para termos o “mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus” (Fp 2.5); ou de acordo com o original, a mesma “atitude”, isto é, a obediência a Deus em tudo (1 Jo 2.6).
Obediência parcial = desobediência (1 Sm 15).

AUTORIDADES DELEGADAS
Deus estabeleceu 3 instituições: A Família (Gn 2.18-25), O Governo (Gn 9.1-17) e a Igreja (At 2).
1.AUTORIDADE NO GOVERNO (Rm 13.1-7; 1 Pe 2.17; Cl 3.23-25)
Os governos são estabelecidos por Deus (At 17.24-28; Dn 4.17,28,32; 2.21).
O Senhor Jesus nos deu exemplo de submissão à autoridade do governo (Jo 19.11).
Nós, filhos de Deus devemos honrar as autoridades, isto é, reconhecer que elas são representantes de Deus (1 Pe 2.17).

É preciso distinguir entre submissão e obediência. A submissão deve ser absoluta; obedecer a ordens é relativo, somente quando estas não são contrárias às ordens do Senhor Jesus (At 5.29; Ex 1.17,21).
Quando tratamos deste assunto, qual é nossa atitude diante dos incrédulos e dos irmãos? Murmuramos contra o governo? Falamos mal das autoridades? Apoiamos aqueles que maldizem e zombam dos governantes? Rimos dos comentários e piadas que fazem deles?

2.AUTORIDADE NO TRABALHO (Ef 6.5-9; Cl 3.22-4.1; 1 Tm 6.1,2; Tt 2.9,10; 1 Pe 2.18-21).
Os patrões são autoridades delegadas por Deus, e devemos obedecer-lhos (1 Pe 2.18-21). A palavra diz que devemos obedecer “como a Cristo” (Ef 6.5), isto é, obedecendo a eles estamos obedecendo a Cristo.
Interessante observar que a palavra de Deus não faz diferença entre trabalho do Senhor e trabalho secular, pois diz que aquele que assim trabalha está “servindo o Senhor” (Cl 3.24).

Uma grande preocupação que a palavra de Deus nos chama é com a atitude do discípulo no seu trabalho. (Ef 6.5-8; Tt 2.1,9,10). A palavra dá a razão para que o discípulo tenha correto procedimento no trabalho: “... para que o nome de Deus e a doutrina não sejam blasfemados” (1 Tm 6.1,2; Tt 2.10).
Cada um receberá a recompensa, pelo bem ou mal realizado (Ef 6.8; Cl 3.24,25).

3.AUTORIDADE NO LAR (1 Co 11.3; Ef 5.22-33; 6.1-4; Cl 3.18-21; 2 Tm 3.1,2; Tt 2.3-5; 1 Pe 3.1-7).
No lar, Deus constituiu o homem autoridade sobre a esposa e os filhos. A razão é o fato de o homem ter sido criado primeiro. Normalmente, nos ensina a ordem divina na criação que tudo o que vem antes se constitui autoridade (1 Co 11.8-12; 1 Tm 2.11-15). A submissão da mulher não é uma questão de inferioridade, mas de uma disposição que Deus instituiu na família.
As mulheres são exortadas a serem submissas aos seus maridos como Sara foi com seu esposo, Abraão (1 Pe 3.1-6). Quando Eva quando pecou contra Deus, ela saiu de duas coberturas: de Deus e do seu esposo, Adão. Quando ela saiu da autoridade de Deus, imediatamente saiu da autoridade do homem.
Há uma promessa às esposas que têm maridos incrédulos (1 Pe 3.1). Qual deve ser o procedimento delas? Submissão ao próprio marido! A maior pregação para salvação do marido é a obediência.

Os filhos também devem se submeter ao seu pai. Obedecer ao pai é honrá-lo (Ef 6.2); e honrar significa reconhecer a posição de autoridade divina em que Deus o estabeleceu no lar.
Deus quer filhos obedientes, não filhos que fazem parte de uma geração rebelde (Rm 1.30; 1 Tm 3.2). Grandes bênçãos há para os que fazem assim (Cl 3.20; Ef 6.2,3). Maldito o que desonra (Dt 27.16).
Deus respeita as decisões da autoridade delegada (Nm 30).

4.AUTORIDADE NA IGREJA (Hb 13.7,17; 1 Ts 5.12,13; 1 Tm 5.17)
Deus colocou sua autoridade no corpo de Cristo, que é a igreja. Deus instituiu posições de autoridade:
· Os apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores (Ef 4.11).
· Os ministérios da igreja local, presbíteros e diáconos (Fp 1.1; 1 Ts 5.12,13; At 20.28).
· A todos aqueles que são cooperadores e obreiros (1 Co 16.15,16).
· Aqueles que nos ensinam, os discipuladores (Mt 28.18,19; Gl 6.6; Hb 5.12).
· Os mais velhos na idade (1 Pe 5.5).

Sempre devemos lembrar que Deus colocou autoridade no corpo de Cristo com o propósito de representá-lo em autoridade e de servir. Quanto maior em autoridade maior em serviço, como nosso Senhor Jesus, que disse que veio não para ser servido, mas para servir e dar sua vida (Mt 20.26-28; 2 Co 10.8; 13.10).
Muitos crentes se julgam acima da autoridade, dizendo: “Eu só obedeço a Cristo, o Senhor. Não estou sujeito a nenhum homem!”. É inadmissível declarar obediência a Deus e não às autoridades por Ele delegadas. Obedecer somente quando se concorda não é espírito de submissão. É rebeldia e independência. Importa que obedeçamos de coração e há grande recompensa para os que assim fazem (Jó 36.11,12). Submissão não é motivo para exaltação, mas a obrigação do servo (Lc 17.10).
O conhecimento sobre autoridade não resolve, mas o cumprimento da palavra (Tg 1.22).

quarta-feira, 20 de maio de 2015

O que significa Santa Ceia ou Ceia do Senhor?

Creio que a maioria de nós sabe o que é a Santa Ceia ou Ceia do Senhor. No entanto, neste artigo, darei alguns detalhes adicionais muito importantes para uma boa compreensão a respeito desse ritual cheio de significado e importância a todos aqueles que creem em Jesus Cristo. O que significa santa ceia ou ceia do Senhor? A Ceia foi instituída por Jesus Cristo na noite em que Ele foi traído. Essa noite era o dia da páscoa judaica. “E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós.” (Lc 22. 19-20). (Para melhor compreensão leia nosso texto: O que significa páscoa?) A Santa Ceia for ordenada por Jesus para que acontecesse por toda a posteridade como uma lembrança viva de Sua morte e sacrifício na cruz pelos nossos pecados. Por isso, até hoje a realizamos como um memorial, lembrando da obra de amor de Jesus por nós. Além de ser um memorial, a Ceia é um momento de comunhão da igreja e fortalecimento espiritual de cada membro do corpo de Cristo. Um momento único e especial. Não faça a obra de Deus relaxadamente!
 Os católicos acreditam que, os elementos da Ceia (pão e vinho) se transformam no próprio corpo e sangue de Cristo no momento da Ceia, quando consagrados pelo sacerdote (doutrina chamada de transubstanciação). Nós cristãos reformados, rejeitamos esse pensamento, pois não tem embasamento bíblico. Os elementos permanecem da mesma substância que são, pão e vinho. O fiel recebe fisicamente apenas o pão e vinho, mas espiritualmente e pela fé, recebe os benefícios da comunhão com Jesus Cristo. A Santa Ceia não deve ser tomada de qualquer forma. A Bíblia nos orienta a examinarmos o nosso coração antes de participar. E é nesse exame que nos colocamos diante de Deus, reconhecendo o valor de Cristo e Sua obra, bem como, avaliando nossa vida, confessando nossos pecados e tomando decisões de mudanças. Assim ficamos prontos para participar. “Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice; pois quem come e bebe sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si.” (1Co 11. 28-29) Existe alguma confusão a respeito de quando a pessoa NÃO deve participar da Santa Ceia, principalmente por conta do texto de Paulo que diz das conseqüências de participar da Ceia indignamente. “Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor.” (1Co 11. 27). 

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Retira o pé da casa do teu próximo, para que se não enfade de ti e te aborreça.

Provérbios 25:17

Retira o pé da casa do teu próximo, para que se não enfade de ti e te aborreça.

Ter amizade inclui visitas e comunicações. Mas o excesso de um ou do outro pode ser um peso e estragar a amizade, da mesma forma que excesso de mel pode fazer você vomitar (Pv 25:16). O excesso pode levar ao desdém e ao ódio, por isso Salomão encoraja a temperança e a moderação, mesmo com amigos. Cortesia normal não é tão normal quanto desejaríamos! Mas deveria ser para os cristãos, que deve ser livre de qualquer ofensa a todos os homens, especialmente aos outros santos (ICo 10:32).

A nação norte americana tem duas versões para este provérbio, uma versão negativa e outra positiva. Dizem, "Muita intimidade cria desprezo," como um alerta contra o tempo excessivo com amigos; e, "A ausência faz o coração ficar mais carinhoso", ou como nós dizemos, "Longe dos olhos perto do coração", para indicar o valor do espaço para os amigos. Mas você pratica isto?

É fácil estender demais a sua visita, visitar ou telefonar ou enviar correspondência eletronicamente com muita frequência e falar demais. Essas intrusões podem ser um peso e conduzir ao ressentimento e ao ódio. O que você nunca faria a um estranho, pode facilmente fazer com um amigo. Faça um sério exame de si mesmo, caro leitor. Você é culpado dessas ofensas? O nosso provérbio de hoje é para os sábios.

As escrituras nos tornam sábios para a salvação (IITm 3:15), mas elas também nos ensinam a maravilhosa prática da sabedoria. Temos aqui um conselho precioso para nos ajudar a crescer em favor com os homens, como o fez o nosso Senhor Jesus (Lc 2:52). Ao invés de se preocupar a respeito de quem descobriu a Bolívia na escola, deveria existir aulas sobre ética social e sabedoria prática extraída dos Provérbios. Mas esse livro que teve origem no dedo de Deus é um tesouro para os Seus santos. Aprenda-o e se alegre!

A sabedoria contida nestas poucas palavras se equivale à solução de Salomão de dividir o bebê em duas partes (IRs 3:25)! Que grande conselho em palavras claras! O tolo pensa que os seus inúmeros chamados e muitas palavras são amizade, mas se admira de ter tão poucos amigos. Aqui está a resposta! O homem efeminado passa a vida murmurando com obscuras generalidades, mas Salomão chama a ofensa una causa verdadeira de ódio! Ame esse livro e este provérbio!

A facilidade de se comunicar torna mais necessária este provérbio do que nunca. No passado, uma caminhada de cinco quilômetros para visitar o seu amigo mais próximo desestimulava o excesso de visitações. Mas com carros, telefones, e-mails, mensagens de texto e mais tempo para o lazer, os fatores limitadores foram removidos. Hoje em dia, as pessoas, em seus carros, com um telefone celular presume que todos os outros estão esperando suas ligações!

Ah, caro leitor, não engane a si mesmo. Você não é nenhuma exceção a esta regra, mesmo que o seu coração pense assim. Suas chamadas e suas visitas não são mais preciosas do que dos outros, e entender isto claramente é salvar a si mesmo do ódio! E você vai aumentar o número de seus amigos! Seja sábio e erre por moderação ao invés de correr o risco de incorrer no desprezo deles!

Pare e pense! Existe um incômodo maior do que convidar visitas para jantar e ver que eles ficam até muito tarde, sem levar em conta a sua necessidade de fazer uma limpeza e para poder começar bem cedo na manhã seguinte já com as coisas adiantadas? O que é que você pode fazer quando você é o convidado? Simplesmente sugere que você deve se despedir, pois a noite é curta e permita que o seu anfitrião determine o quanto você pode ficar. Se eles concordarem com o seu pedido, saia e saiba que você é sábio. Se eles suplicarem a você para ficar, faça isso e cortesmente tente de novo uma hora mais tarde!

Verdadeiros amigos lembram que o tempo é precioso. Eles estão muito conscientes da existência de possíveis limitações de tempo por parte dos seus convidados. Só porque você está entediado por não ter nada para fazer, não significa que todos os outros estão sentados aguardando que o telefone toque! A sabedoria exige que você tenha uma grande consciência a respeito dos outros e das limitações de tempo deles. Não presuma!

Verdadeiros amigos mantêm uma noção de urgência. A vida é curta, e nunca sobram horas suficientes num dia. Para que tudo seja realizado nós precisamos que aquilo que precisa ser feito, o seja com uma noção de urgência. Uma ligação de cinco minutos uma vez por semana é um lembrete precioso de amizade. Uma hora de ligação, duas vezes por semana é um fardo que nenhum homem consegue aguentar cortesmente. Mantenha a conversação fluindo e desligue o mais rápido possível. Seja um verdadeiro amigo e preserve o amor do seu amigo para o futuro!

Dois amigos são melhores do que um, e a amizade é uma grande benção. Um conselho sincero de um amigo alegra o coração como o óleo e o perfume; e amigos devem ser preservados com grande cuidado (Pv 27:9-10). E o nosso provérbio não constrange nem minimiza tal amizade, ao contrário, aperfeiçoa-a e a protege! Não temos aqui nenhuma restrição de uma conversa calorosa e amistosa, senão o abuso do tempo pelos amigos presunçosos e inconscientes!

Se você está com muita vontade de se comunicar, ajoelhe-se e ore. O SENHOR tem uma mesa multifuncional livre só para você, mas os seus meros amigos mortais não o têm! E, andando e falando com o SENHOR, também lhe fará um bem maior, ainda.

Não há necessidade de precaução ou reserva em se chegar com ousadia ao trono da graça, pois Ele vive sempre como o seu Sumo Sacerdote. Ele exige a sua importunidade! E mesmo que você não possa acordar o seu amigo que está dormindo, você pode ter o Poder do Céu à sua disposição! Ele nunca está cansado de suas vindas, e Ele se aproximará cada vez mais de você com as muitas vindas! Não há ocasião melhor do que agora de se aproximar do Seu trono, pois Ele nunca pestaneja nem dorme. Vá sempre ao seu eterno Amigo, caro leitor, e seja ali consolado para sempre.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

NAMORAR UMA PESSOA NAO CRENTE É PECADO

Muitos jovens são tentados a namorar com pessoas que não são crentes. De acordo com a Bíblia, essa prática é pecado.

“Não se juntem com descrentes para trabalhar com eles. Pois como é que o certo pode ter alguma coisa a ver com o errado? Como é que a luz e a escuridão podem viver juntas?
Como podem Cristo e o Diabo estar de acordo? O que é que um cristão e um descrente têm em comum?
Que relação pode haver entre o Templo de Deus e os ídolos? Pois nós somos o templo do Deus vivo, como o próprio Deus já disse: “Eu vou morar e viver com eles. Serei o Deus deles, e eles serão o meu povo.”  - 2 Co 6.14-16 – NTHL

Como a Bíblia diz, não existe nada em comum entre o crente e o descrente e é justamente aí que estão todos os problemas e conseqüências do namoro misto.

Primeiro vamos entender o significado de jugo. Segundo o dicionário contido no Ilumina, jugo significa:

1) Peça de madeira que se prende com correias ao pescoço de animais de carga, para que assim possam puxar uma carroça ou um arado (Nm 19.2; 1Sm 6.7). 
2) Em sentido figurado: domínio, opressão (Gn 27.40; Jr 28.2; Gl 5.1); sofrimento (Lm 3.27); obediência (Mt 11.29-30); aliança (2Co 6.14); trabalho (Fp 4.3).

Então a Bíblia quer nos mostrar (no sentido figurado) que quando o crente namora uma pessoa não-crente, está junto com ela numa missão – no sentido figurado utilizado na Bíblia, puxar uma carroça ou um arado; ou então que ela se coloca debaixo do domínio ou opressão, em aliança com o não-crente.
 
Por estar debaixo de uma aliança com o não crente e sob o domínio dele, o crente sofre para poder servir a Deus e muitas vezes até se desvia. É o caso da moça que é proibida de ir a Igreja pelo namorado; do rapaz que é tentado pela moça não-crente a ter relação sexual antes do casamento; da moça que é forçada a acompanhar o namorado em bailes do mundo ou em barzinho; do rapaz que é influenciado pela moça a beber e muitos outros exemplos que talvez você já tenha presenciado na vida de algum irmão ou irmã.
 
Ainda que o não-crente não influencie ou não proíba o culto ao Senhor, sempre haverão problemas. Esses problemas acontecem na caminhada da missão. Gostaria de exemplificar através do significado do jugo: dois animais não podem puxar uma carroça em sentidos oposto; então um crente não pode caminhar com o não-crente, porque senão um caminhará para um lado e o outro para o lado oposto, não curtirão as mesmas coisas, agirão de forma diferente, buscarão objetivos diferentes.
  
Sendo assim, não há nada que justifique o namoro entre o crente e o não-crente.

Sei que muitos jovens reclamam da dificuldade em encontrar alguém para dividir a vida nas Igrejas. Alguns dizem que não há ninguém na Igreja que o atraia, que os rapazes não querem saber de namoro sério, que não tem moças ou rapazes na Igreja solteiros, etc. Mas acredite, Deus tem sempre alguém reservado. De qualquer maneira, nada justifica a desobediência a Deus.

Mas talvez o seu coração esteja questionando, porque se apaixonou   por uma   pessoa   não  crente -  que parece ser alguém maravilhoso(a); e portanto não consegue ver nenhum problema nesse relacionamento.
Bom... Deus não quer estragar sua benção e nem lhe deixar triste, Ele quer que sua benção seja completa! Na verdade Deus trabalha para que todos se convertam.
Conheço alguns casais que se apaixonaram em jugo desigual, porém não tiveram nenhum tipo de relacionamento até que o jugo desigual acabasse. A única maneira do jugo desigual terminar, é o não-crente se tornar crente. Mas atenção! É preciso tomar muito cuidado com as armadilhas, pois já vi muitos não-crentes disserem que se converteram só para conquistar a pessoa amada e depois revelaram que era lobos em pele de cordeiros.

Para evitar essa armadilha, o melhor meio é que o não-crente comece a freqüentar uma Igreja Evangélica (de preferência da mesma denominação, ou então com doutrinas similares) que não seja a mesma do não crente. Lá ele vai aprender a Palavra e se converter por Jesus - e não por causa da pessoa amada; e se realmente existe o amor, vai saber esperar esse processo.

Saiba esperar o tempo de Deus, e busque sempre a pessoa certa para sua vida. Não estrague a sua vida com um relacionamento contra a vontade de Deus.